Compartilhe!

Charli XCX na controvérsia ‘Girls’: ‘Eu quero aprender com essa experiência’

Charli XCX falou com a Rolling Stone sobre a repercussão que se seguiu ao lançamento do último single de Rita Ora, “Girls”, que apresenta XCX ao lado de Cardi B e Bebe Rexha. Após a liberação da música, foi recebida com preocupação de como a equipe de roteiristas, em sua maioria masculina, evocava estereótipos exploradores e prejudiciais de relações sexuais entre duas mulheres.

“Acho que o diálogo em torno dessa música é realmente importante”, disse a cantora britânica à Rolling Stone antes da parada Denver da turnê mundial de Taylor Swift, onde ela é uma das bandas de abertura. “Eu me esforço tanto para estar tão envolvida com a comunidade LGBTQ quanto possível. Sem essa comunidade, minha carreira não seria realmente nada.”

Como vimos em seus dois últimos mixtapes, Number 1 Angel e Pop 2, a XCX tem se concentrado principalmente em colaborações com artistas promissores LGBTQ, incluindo ALMA, Mykki Blanco e Kim Petras. Ela observa que, no início da reação, ela se certificou de ler e se envolver com o que estava sendo dito por seus colegas.

“Eu li o post de Kehlani, post de Hayley [Kiyoko], post da Katie [Gavin] da Muna. Eu poderia me relacionar totalmente com a conversa que estava tendo. Claro, a intenção da música nunca foi machucar ninguém. Os artistas dessa música nunca quiseram perturbar ou machucar alguém”.

Ainda assim, a XCX está orgulhosa do que a música significa para seu amigo Ora, observando que as letras e a história contadas pertencem ao artista principal. “Eu sei de quando Rita me convidou para fazer parte da música, essa música era sobre uma experiência específica que ela teve com uma mulher”, explica ela. “Eu sei que Rita teve relacionamentos extremamente significativos com homens e mulheres. Ela realmente tem todo o direito de contar sua história porque ela não está fazendo isso do ponto de vista explorador: ela está com mulheres e teve relacionamentos com mulheres. Ela teve relacionamentos com homens Eu não entendo porque a história dela é menos válida que a de qualquer outra pessoa “, diz XCX.

Ora ficou empolgada com a música e sua história, tendo dito à XCX que “foi a primeira vez que ela foi honesta” e ficou chateada depois que as respostas críticas vieram de seus colegas artistas LGBTQ. “Rita nunca confirmou sua sexualidade”, acrescenta XCX. “Ela basicamente sentiu que tinha que sair [por causa disso]”.

A cantora, desde então, decidiu tomar seu tempo para formar uma resposta, embora ela quis dizer algo imediatamente, dado seu trabalho próximo com a comunidade que se sentiu prejudicado pela letra da música e mensagem. Desde que a música e a resposta ocorreram, ela conversou com amigos como Gavin, ALMA e King Princess, cara-a-cara.

“Eu realmente quero aprender com essa situação”, continua ela. “Eu acho que é algo que todos nós podemos fazer: todos nós podemos aprender com essa conversa. Seria ótimo continuar esse diálogo de uma forma positiva – não de uma forma agressiva – para que as pessoas possam aprender sobre os sentimentos das pessoas, sobre sexualidades e Podemos aprender a não julgar as pessoas antes de obtermos todas as informações. Podemos aprender como certas palavras podem tornar certas comunidades tristes ou perturbadas. “

A XCX se orgulha de “Girls” porque significava que ela estava apoiando um amigo. “Conheço a Rita há muito tempo nesta jornada particular e nesta história em particular em sua vida. Eu nunca iria querer tomar o espaço de ninguém na música pop, mas Rita é alguém que eu conheço há muito tempo que teve experiências queer e [senti] que talvez este seja um espaço seguro para eu estar neste disco. Peço desculpas a qualquer pessoa que ofendi com isso.

Publicado em 27/05/18 por XCX

Tags: Notícias